Legião Urbana Uma Outra Estação
Bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet

eXTReMe Tracker
 

MAIS QUE UM GRÃO DE AREIA

(Jornal DIÁRIO DO NORDESTE - 11/10/1997)

(Por Ricardo Jorge)

* Ricardo Jorge é jornalista e professor do curso de Comunicação Social da UFC.

Mudaram as estações. Algo mudou. Já faz um ano que Renato Russo passou a sobreviver nos velhos discos dos fãs mais apaixonados e em canções lançadas postumamente. "Sou uma gota d’água / sou um grão de areia"; sábios versos.

O que mudou com a morte de Renato Russo? Nada. Ou quase. Afinal, se prestarmos mais atenção, veremos que um triunvirato poderia mudar, de algum modo, os rumos da cena pop / rock nacional e da MPB: Renato Russo, Cazuza e Chico Sciense. Cada qual, a seu modo, estava estabelecendo pontes entre os dois lados de nossa produção nacional.

Se Cazuza era rasgado e dilacerante / dilacerado como um acorde de blues e Chico Sciense se mostrava antropofágica e nordestinamente pop, Renato ia mais além. Oscilava entre a fúria punk adquirida nos tempos do Aborto Elétrico e o lirismo da Bíblia e a poesia de Camões; oscilava entre versos em "português errado" e letras em italiano sentimental sem parecer piegas.

Uma das coisas que chamava atenção em Renato era a sua capacidade de escrever letras ora instigantes, ora quilométricas, que acabavam sendo decoradas por milhares de jovens e adolescentes que nunca leram Castro Alves, Augusto dos Anjos ou Vinícius de Moraes, mas que, de repente, tomavam contato com uma idéia inicial do que era poesia. Afinal, somos tão jovens...

Acrescente-se a isso a aura que envolvia suas letras. Renato dificilmente falava em termos explícitos de sua homossexualidade (vide "Daniel na Cova dos Leões", cheia de imagens e metáforas). Ele escrevia sobre os dilemas da homossexualidade que, por algum motivo, pareciam ter afinidade com os grilos dos namoros dos adolescentes dos anos 80 / 90. Qualquer jovem, hetero ou homossexual, que nunca tenha lido uma letra de Renato como se fosse um momento de sua própria vida, favor atirar a primeira pedra.

Pena que, agora e há um ano, tanto faz...

Texto enviado por: Fabiano Moraes - Legião Urbana Web Fã Clube

 

Política de Privacidade

Skooter 1998 - 2008