Legião Urbana Uma Outra Estação
Bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet

eXTReMe Tracker
 

Legião insaciável

Dois anos após a morte de Renato Russo, o culto à sua obra gera mercado para bandas cover profissionais e artigos de colecionador

Por Nilo Monteiro e Letícia Calmon

A banda Legião Urbana Cover, de Campinas, interior de São Paulo, foi formada cinco dias após a morte de Renato Russo. Durante um ano, ensaiou o repertório; hoje, faz de dois a três shows por semana para platéias de mais de mil pessoas, no interior de São Paulo e sul de Minas, cobrando cachê de 1500 reais, no mínimo. Por conta disso, os integrantes estão abandonando suas atividades profissionais paralelas, como o gerente de banco e guitarrista Ricardo Alvarez, de 36 anos. "A procura dos fãs é muito grande, pedem muitos autógrafos para o Renato", conta o baterista Daniel Padovani. O Renato, no caso, é um professor de História que atende pelo sobrenome Nascimento.

Daniel diz que alguns fãs ficam muito comovidos com a semelhança entre Russo e Nascimento, na aparência, no modo de cantar e até de conversar: "Em Bragança Paulista, teve uma moça que ficou na ponta do palco, imóvel, assistindo ao show. Foi ao camarim, desmaiou, ficou 20 minutos chorando, olhando para ele, dizendo que não acreditava, que não era possível"

Após os shows, o público pede para ser fotografado ao seu lado, conversar com ele, abraçá-lo. "Muitas pessoas dizem que não tiveram a oportunidade de assistir à Legião ao vivo e falam que nós conseguimos preencher essa lacuna em suas vidas", revela Renato Nascimento.

Dado Villa-Lobos, que viu a banda em vídeo, comentou: "Realmente, o cantor é a cara do Renato". Em rádios do interior de São Paulo, a Legião urbana Cover tenta a carreira com trabalho próprio, usando o nome de Renato Nascimento. As composições, claro, sofrem forte influência da Legião.

A banda carioca Mais do Mesmo, que também faz covers da Legião Urbana, não conta com um sósia de Russo nos vocais, mas tem estrutura profissional em suas apresentações: uma equipe de onze pessoas, com seis músicos mais os operadores de som e luz, os seguranças e os rodies.

"Fazíamos apenas um set acústico com músicas deles, mas vimos que o pessoal gostava muito", conta o vocalista Márcio Moreira. Todo fim de semana eles são requisitados para animar bares e festas de faculdades no Rio de Janeiro e região.

O carioca Frederico Morato Nery também não guarda nenhuma semelhança física com Russo, mas sua voz é incrivelmente parecida com a do ídolo. Fred é presidente do fã-clube Conexão Urbana e vocalista da homônima banda cover. Já tocou em muita festa-homenagem (de graça), mas agora pretende seguir caminho próprio, a conselho de Bonfá. "Ele diz que sou jovem e devia começar algo novo."

Fred apronta uma demo de seu grupo, Vítimas Do Sistema. "Tenho meu estilo, mas me inspiro no Renato", confessa.

Reginaldo Ferreira da Costa, amigo de Frederico, era presidente do fã-clube Por Enquanto e seguidor fanático da Legião até ser convidado para virar Roadie da banda. Depois, o ótimo relacionamento com Renato rendeu convites para trabalhar nos discos solo do cantor.

Hoje Reginaldo é Rodie de Cássia Eller e promove festas nos subúrbios do Rio de Janeiro (ele mora em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense), a maior delas no dia do aniversário de nascimento de Renato. Aí se juntam sócios e fãs que vendem camisetas, adesivos, pôsteres e fotos para arrecadar dinheiro, já que a entrada é gratuita. Camisetas desenhadas por Bonfá podem ser compradas em sua loja de locação de CDs, em Caxias. "O Reginaldo é uma enciclopédia da Legião. Conto com ele para achar qualquer material da gente", elogia Dado.

O carioca Maurício Castro é outro colecionador contumaz de material da Legião Urbana. Tem 28 fitas de vídeo, com aparições em TV e vários shows (também em vídeo), que diz Ter conseguido com roadies, câmeras de TB e funcionários da gravadora EMI. Possui também 63 cassetes e centenas de recortes de revistas e jornais. Não empresta nada para ninguém, com medo de o material ser comercializado: "Pode cair na mão de uma pessoa de má-fé, que queira só ganhar dinheiro". Como a maior parte dos fãs, também não vende. No máximo, troca por gravações que não possua — o que, convenhamos, é difícil. "Só não tenho vídeos do Aborto Elétrico, que eu sei que existem porque passou no Jornal Nacional um trecho de show, quando Renato morreu."

As trocas, muitas vezes, são internacionais. "Um brasileiro que mora no Japão me mandou um EP do Nirvana por um vídeo que enviei", conta Helder Hoth, que mora em Guaraí, em Tocantins. Ele garante que cobra só "para pagar as despesas com fitas e correio".

David Obadiah, presidente do fã-clube Legião Jovem, fugiu de João Pessoa, aos 16 anos, para assistir a um show do grupo no Recife. Não contente viajou a Brasília e entrou em contato com a mãe e irmã de Renato.

Hoje prepara um CD-ROM com a história da banda e um manual de fã-clubes, organiza shows bimestrais, cuida da homepage e da sede do Legião Jovem — um espaço com biblioteca, hemeroteca (recortes de jornais e vistas) e CDteca. Todo Sábado, são formados três grupos de discussão — entra quem quiser — e cada bloco dura duas horas. "As reuniões tomam a noite", avisa David.

Em Salvador, o arte finalista Marques Junior, do fã-clube Legião Urbana Tudo Vence, organiza uma exposição que leva a história da banda a colégios soteropolitanos. Marques registrou sua filha com o nome de Renato Nathália Souza Marques. "Natália é um faixa de A Tempestade, e o nome completo dela tem 27 letras. 27, dia de nascimento do Renato. Tudo isso foi pensado", explica Junior.

"Há fãs nossos muito frágeis e sensíveis e uma das forças da Legião era justamente da ‘amparo’ aos jovens. Depois da morte do Renato, alguns deles se sentiram órfãos", analisa Dado. Aos mais desesperados, ele tem uma notícia: o pacote Acústico (vídeo e CD) da Legião urbana está mesmo previsto para março. "Eu e Bonfá ainda não nos reunimos para decidir o repertório, mas as gravações incluídas em Música Para Acampamentos devem ficar de fora", adianta.

 

10 tesouros de fã

Em vídeo

1 O Acústico MTV na íntegra, com dezenove músicas, incluindo uma canção do Menudo.

2 Último show da banda (janeiro de 1995), em Santos. Renato, ao ver que uma latinha foi jogada no palco, pára de cantar "Teatro Dos Vampiros". Em "Faroeste Caboclo", o vocalista, furioso, deita no chão, fuma e não pronuncia sequer uma frase da letra. No fim, dá um bronca: "Vocês não aprendem nunca".

3 Registro de um show do Aborto Elétrico em 1981, na Universidade de Brasília.

4 As aparições da Legião no programa Perdidos Na Noite, comandado por Fausto Silva. O show foi transmitido ao vivo em novembro de 1986 no Circo Voador (Rio). Outro registro raro: um especial para a Rede Bandeirantes, gravado em Dezembro de 1987. A Legião Urbana toca "Que País É este?" e "Tempo Perdido", entre outros sucessos.

5 Show no Jóquei Clube, no Rio de Janeiro em 8 de julho de 1990. A apresentação começa com uma homenagem a Cazuza, que tinha falecido no dia anterior, e termina com o público atirando areia no palco. Gravado pela TV Manchete, foi exibido quando da morte de Renato em uma versão editada com onze canções, mas na íntegra tem 24.

Em cassete

6 Show do Aborto Elétrico na UNB em 1978, tocando "Química", "Veraneio Vascaína", "Fátima" (gravadas posteriormente pelo Capital Inicial em seu disco de estréia), "Que País É Este?", "Conexão Amazônica" e músicas inéditas como "Helicópteros No Céu", "1977" (com letra semelhante à de "Tempo Perdido"), "Desemprego" e "Construção Civil".;

7 Aparição na rádio Fluminense FM em 1983, mostrando uma demo, em cassete, com arranjos diferentes dos registrados em disco de "Ainda é cedo", "A dança", "Petróleo do futuro", "Geração Coca-Cola", e uma versão inédita para o clássico "Route 66".

8 Fita demo da preparação do disco V, com "Sereníssima", "A Ordem Dos Templários", "Love Song", "Metal Contra As Nuvens", entre outras.

9 Show de Brasília, no Estádio Mané Garrincha (18 de junho de 1988), em que ocorre confusão na platéia a partir d um discurso de Russo, em que fala sobre Ter saído desta cidade para ser feliz no Rio de Janeiro. Objetos são atirados no palco e um rapaz dribla os seguranças e pega o vocalista pelo pescoço.

10 Renato Russo em show acústico de 1988, na extinta casa Dama Xoc, em São Paulo. Acompanha-se ao violão e tem o auxílio de outro violinista, cantando "Yesterday", dos Beatles, "Por Enquanto", "Música Urbana".

O mapa da mina

Estas pessoas possuem material raro da Legião Urbana e se dispõem a fazer trocas. Elas não vendem fitas piratas

  • Fã-clube metal contra as nuvens
(Edilson), tel. (011) 9181-4122
  • Fã-clube conexão Urbana
(Frederico) Rua Ubiraci, 545, apto 101, Higienópolis, CEP 21051-040, Rio de Janeiro, RJ
  • Fã-clube Legião Jovem
(David) Caixa Postal 505, CEP 58001-000, João Pessoa, PB
e-mail: [email protected]
homepage: http://legiaojovem.base.org
  • Maurício Castro, tel. (021) 589-8861
  • Helder Hoth, tel. (063) 834-2411
  • Reginaldo Ferreira
Caixa Postal 76164, CEP 25001-970, Duque de Caxias, RJ

Texto enviado por: Maira Yuka
Digitalização da foto: Fabricio Aparecido Breve

 

Política de Privacidade

Skooter 1998 - 2008