Legião Urbana Uma Outra Estação
Bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet

eXTReMe Tracker
 

Renato Solo

Jornal "O Povo"

Data: 12/10/96 Tamanho: M
Editoria: Vida & Arte Página: 1B
Clichê: Primeiro
Observação: Continuação da matéria anterior

Renato Russo já era um marco para sua geração apenas com o trabalho na Legião Urbana. Mas ele quis mais e assustou os fãs da banda quando inaugurou, em 94, sua carreira solo com o lançamento do CD The Stonewall Celebration Concert. O disco é uma verdadeira bandeira do movimento homossexual no Brasil. Ele já tinha `saído do armário' em entrevistas em 1990. Mas nunca um artista brasileiro tinha tido a coragem de encarar publicamente sua opção sexual da forma mais natural e engajada possível. Nem mesmo Cazuza.
Stonewall foi feito para marcar os 25 anos do levante gay do bar Stonewall Inn, no bairro do Greenwitch Village, em Nova York. Este foi o primeiro movimento pelos direitos dos homossexuais de grandes proporções. Renato reuniu um punhado de canções românticas, de compositores tão diversos quanto Stephen Sondheim, Madonna, Bob Dylan, Quincy Jones, Richard Rodgers, Irving Berlin, entre outros. O disco tinha caráter beneficente, com parte da renda revertida para entidades diversas - em sua maioria ligadas ao direito dos homossexuais ou que trabalham com doentes de AIDS. O encarte do CD traz uma lista dessas entidades com seus endereços e telefones.
O trabalho foi inicialmente ignorado pelas rádios e até a própria gravadora subestimou seu potencial colocando nas lojas uma tiragem limitada. O disco esgotou em pouquíssimo tempo e as músicas "Cathedral Song" e "Cherish" tiveram alguma execução. A companhia teve que fazer novas tiragens e as vendas superaram todas as expectativas - até mesmo as do próprio Renato Russo.
Com o sucesso da primeira empreitada, o segundo projeto solo ganhou mais atenção. Equilibrio Distante saiu em 95 e era uma declaração de amor à música pop italiana, com todo seu romantismo - marca registrada da produção musical daquele país. Sua interpretação para "La Solitutine" (sucesso de Laura Pausini na Europa) ganhou as rádios brasileiras e abriu uma nova fase de interesse do público brasileiro pela produção italiana.
Novamente os fãs do Legião Urbana ficaram apreensivos. Um disco solo já era preocupante mas dava para encarar, mas dois - e ainda por cima seguidos!!! Os rumores sobre o fim da banda nunca cessaram, apesar das constantes negativas de Renato e dos outros integrantes, até o lançamento recente de A Tempestade - o último trabalho do Legião que acabou servindo de epitáfio de Russo. (L.A.F.)

 

Política de Privacidade

Skooter 1998 - 2008