Legião Urbana Uma Outra Estação
Bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet
bullet

eXTReMe Tracker
 

LÁGRIMAS ORQUESTRADAS

Showbizz 179 - Junho 2000

Sinal dos tempos. Em 1986, já consagrada nacionalmente, a Legião Urbana decidiu realizar o show de lançamento do álbum Dois no mais nobre palco do Distrito Federal. Até então, a sala Villa-Lobos do Teatro Nacional Cláudio Santoro era reservada exclusivamente para concertos de música clássica, espetáculos teatrais e óperas. Foram meses de negociação com a Fundação Cultural do DF ( dona do espaço ) até que o grupo conseguisse autorização para realizar duas apresentações. Tudo certo: não houve depredação de poltronas nem invasão de palco, como temia a Fundação. Catorze anos depois, a Legião já não provoca calafrios em nenhuma autoridade. E a maior prova disso foi a escolha da sala Villa-Lobos para apresentação do projeto Memorial Renato Russo com um concerto da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional. A Sinfônica foi regida pelo maestro Silvio Barbato, amigo pessoal do vocalista da Legião - eles planejavam inclusive compor uma ópera a partir do livro O Bom Crioulo, considerado o primeiro romance brasileiro com temática homossexual. A orquestra iniciou o concerto com arranjos para três sucessos da banda: "Pais e Filhos", "Angra dos Reis" ( em recriação surpreendente ) e "Eduardo e Mônica" ( transformada em algo próximo de um standard do repertório de big band dos anos 40 ). Depois o maestro chamou a cantora brasiliense Célia Porto, intensamente aplaudida pelas interpretações de "Maurício", "Andrea Doria" e "Índios", levando às lágrimas os pais do cantor, Maria do Carmo e Renato Manfredini.  Quatro amigos de Renato Russo foram convidados a declamar letras do vocalista durante o concerto: Luís Fernando Borges, Felipe Tenreiro e as atrizes Denise Bandeira e Ana Beatriz Nogueira. Entre uma música e outra, também foram revelados detalhes do projeto do memorial, que não funcionará mais no Espaço Cultural 508 Sul, como era a intenção da família. Ele será erguido no Setor de Difusão Cultural, e local privilegiado do Plano Piloto - entre a torre de TV e o Centro de Convenções, área mais adequada para trânsito de turistas. Além de objetos do acervo pessoal do vocalista, terá auditório, estúdio de som ( para gravação de demos de bandas novas ), biblioteca, discoteca, sala de projeções de vídeo e um palco para shows de pequeno porte. As obras começam em novembro e a inauguração está prevista para o segundo semestre de 2002.  ( Carlos Marcelo )

 

Política de Privacidade

Skooter 1998 - 2008